Visita de Temer à Alagoas completa 100 dias

Renan Filho recebendo em Alagoas Temer/Foto Beto Barata/Ascom PR

A visita do presidente da República , Michel Temer  que ocorreu no final do ano passado, exatamente dia 27/12/2017, completou 100 dias sem que nenhum desdobramento pudesse surtir efeito para a população Alagoana.

Talvez seja por isso que pesquisas indicam que a rejeição ao Presidente Michel Temer esteja em torno dos 90%, confirmado pelo Governador Renan Filho a um jornal pernambucano na última segunda-feira quando participava da posse da Mesa Diretora do Tribunal Regional Federal da 5º região.

Na ocasião da vinda do Presidente à Alagoas onde for recepcionado no Centro de Convenções por populares, o Presidente Temer anunciará um pacote de ações para os estados do Norte e Nordeste. Principalmente no combate à seca.

Ao todo foram anunciados R$ 756 milhões para 15 estados.

O evento contou com a presença de 4 Ministros de Estado, além dos Alagoanos Maurício Quintella e Marx Beltrão, também vieram Osmar Terra do Desenvolvimento Social e Agrário e Hélder Barbalho da Integração Nacional. Além dos anfitriões o Prefeito tucano Rui Palmeira e Governador Renan Filho.

A pauta central do discurso do Presidente Temer girou em torno da pauta da escassez hídrica. Onde somente para Alagoas ele se comprometeu na construção de 500 cisternas ao custo total de R$ 67 milhões.

No mesmo dia da solenidade Temer assegurou que o recurso já estaria na conta do estado. O problema é que já passaram 100 dias e até agora nenhuma cisterna foi construída, ou sequer licitada.

O estado dá de ombros como se não fosse com ele o problema. E a população amarga a falta de água na zona rural e agora nos colapsos de falta na zona urbana de muita cidades.

O evento da Presidência da República registrou maciça presença de políticos locais. Muito Prefeitos e Vereadores municipais. Até das bancadas estadual e federal.

O Governo do Estado através da Secretaria de Desenvolvimento Social, que foi assumida pelo Secretario Fernando Pereira uma semana após o evento e que entrou já com esse grande projeto e recurso milionário em caixa ainda não anunciou construção de uma cisterna sequer.

Este é mais um problema, de tantos outros, por qual o Governo Estadual passa em sua ineficiência de gerir recursos federais.

Se nada ocorrer até o final do ano Alagoas poderá perder mais R$ 67 milhões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *