TJ-AL retoma julgamento de recursos dos réus da Taturana nesta segunda

9 deputados e o Banco Rural são condenados por desvio de R$ 300 milhões. Na quarta (30), será retomado outro processo referente à mesma operação.

julagmento_taturana

Deve ser retomado nesta segunda-feira (28) o julgamento dos recursos dos réus da Operação Taturana. Nove políticos, à época deputados estaduais de Alagoas, e o Banco Rural S/A foram condenados em 2012 pelo desvio de R$ 300 milhões da Assembleia Legislativa.

Além do banco, foram condenados por participação no esquema João Beltrão, Maria José Viana, Cícero Amélio, Paulo Fernando dos Santos (o Paulão), Manoel Gomes de Barros Filho (o Nelito Gomes), José Adalberto Cavalcante Silva, Arthur Lira, Celso Luiz Tenório Brandão e Cícero Almeida.

Eles entraram com recursos contra as condenações, mas o julgamento tem sido adiado seguidas vezes. Na primeira sessão, iniciada em setembro pela 3ª Câmara Cível, o desembargador Domingos Neto votou pela manutenção das condenações de todos os réus, alterando apenas a multa aplicada ao Banco Rural. O julgamento foi suspenso por pedido de vistas do desembargador Fernando Tourinho.

Ao ser retomado, em 3 de novembro, Tourinho votou acompanhando integralmente Domingos Neto. Mas o desembargador Celyrio Adamastor divergiu, votando para reconhecer irregularidades processuais (prejudiciais de mérito) alegadas pelas defesas de Arthur Lira, Cícero Amélio e Cícero Almeida.

O julgamento foi completamente suspenso e volta à pauta do Pleno nesta segunda, a partir de 9 horas, quando serão analisadas novamente as situações dos réus sobre os quais houve divergência. Para isso, foram convocados mais dois desembargadores (Paulo Lima e Elisabeth Carvalho), abrindo a possibilidade de mudança do resultado.

Outro processo
Paralelamente ao julgamento dos recursos, o TJ dá prosseguimento a outro processo decorrente da mesma operação. O caso segue em segredo de Justiça e por isso o Tribunal não passa detalhes da ação.

O processo está na fase de instrução e os réus Antônio Albuquerque, Edval Gaia Nelito Gomes, Maurício Tavares, Cícero Ferro e Cícero Amelio deveriam ter sido ouvidos no último dia 16, mas os depoimentos foram adiados.

Essa audiência deve ser retomada na quarta (30), a partir das 9h, onde os magistrados Helestron Costa e Joyce Araújo devem ouvir nove testemunhas da defesa e os réus. Na primeira audiência, foram ouvidas 16 testemunhas arroladas pelo Ministério Público do Estado de Alagoas (MP-AL).

Operação Taturana
A Operação Taturana foi desencadeada em 2007 e tinha como alvo deputados estaduais suspeitos de desvios milionários da Assembleia Legislativa (ALE). Segundo as investigações, os acusados contraíram empréstimos pessoais fraudulentos junto ao Banco Rural S/A, que eram pagos com cheques da ALE.

g1

28/11/2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *