Sesau orienta sobre como se prevenir das hepatites virais

Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais acontece nesta quinta-feira (28)

16ee6dceb3a58bdfc9d3f658e96dd692_L

Em alusão ao Dia Mundial de Luta contra as Hepatites virais, celebrado nesta quinta-feira (28), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) orienta a população sobre como se prevenir da doença, onde os tipos mais comuns no Brasil são o A, B e C.

De acordo com Monalisa Santos, técnica do Programa de Combate às Hepatites Virais, a hepatite tem tratamento e grandes chances de cura, mas que a prevenção é a melhor maneira de combater as doenças.

“A população deve ter consciência que pequenos cuidados podem ser extremamente relevantes para evitar o contágio dos vírus, como exigir sempre objetos descartáveis nos estúdios de tatuagens e piercings, além das sessões de acupuntura. Também é importante atentar para este detalhe na hora de ir a manicure, evitando compartilhar alicates de unha e outros objetos que podem estar contaminados”, informou Monalisa Santos.

A técnica da Sesau ainda fala que a vacinação contra os vírus da hepatite A e B é importante para controlar a doença. “A vacina contra o vírus A está disponível pelo SUS desde 2014, em especial para crianças de 1 a 2 anos de idade. Já a vacinação contra a hepatite B está no calendário de vacinação da criança, do adolescente e do adulto, estando disponível nos serviços de saúde para administração”, afirmou, ao evidenciar que a transmissão da doença também pode ocorrer pela via sexual, daí porque a importância de usar o preservativo durante o ato sexual.

Diagnóstico – Monalisa Santos ainda faz um alerta sobre a realização dos testes rápidos, que podem ser realizados nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) dos municípios. “Como a hepatite é uma doença silenciosa, a aplicação do teste rápido, cujo resultado sai em até 30 minutos, o paciente pode iniciar o tratamento de imediato. Dessa forma serão evitados danos mais graves ao fígado, como o desenvolvimento de cirrose e câncer”, informou a técnica da Sesau.

No Brasil cerca de 600 mil pessoas são portadores de hepatite B crônica e 1,5 milhão pessoas têm o vírus C, sendo que apenas 12 mil pacientes estão em tratamento. Em Alagoas, entre 2006 e 2016, foram notificados 3.761 casos de hepatite viral, sendo que 58% desses são de Hepatite A, 32% de Hepatite B e 10% de Hepatite C. Em Maceió as unidades de referência para o tratamento são o Hospital Universitário (HU), PAM Salgadinho e o Hospital Escola Hélvio Auto.

O Dia de Luta contra as Hepatites Virais foi instituído em 2010 pela Organização Mundial de Saúde (OMS), com o intuito de dar maior visibilidade ao problema, ampliando a sensibilização e a compreensão quanto à doença. Segundo a OMS, 170 milhões de pessoas são portadoras crônicas de Hepatite C e 350 milhões portadoras crônicas de Hepatite B.

Joâo Victor Barroso – Agência Alagoas

27/07/16