Sargento da PM é ferido a bala ao tentar impedir execução em Sauaçuhy

Militar trocou tiros com homens que mataram um rapaz.
Ele foi atingido por dois projéteis e encaminhado para o HGE.

234493_ext_arquivo

Um sargento da Radiopatrulha da Polícia Militar identificado como Rildo dos Santos Silva, 48, foi atingido, no final da tarde desta terça-feira (22), por dois disparos após tentar impedir uma execução no bairro de Sauaçuhy, no litoral norte de Maceió. Dois jovens foram presos suspeitos de envolvimento no crime e outros dois foragidos estão sendo procurados.

De acordo com informações do comandante da Radiopatrulha, coronel Lima Neto, o sargento Rildo não estava a serviço quando fez a intervenção para evitar um crime.

“Ele estava próximo de casa quando percebeu que três homens iam executar outra pessoa. Ele reagiu para evitar o homicídio, trocou tiros com os bandidos, mas foi ferido”, explica o coronel ao relatar que Rildo foi atingido por dois projetéis que ficaram alojado no corpo. “Uma bala está na têmpora direita. E a outra no ombro”, completou Lima Neto.

Socorrido ainda consciente, o sargento foi encaminhado para o Hospital Geral do Estado (HGE), onde passará por intervenção cirurgica para retirada dos projetéis. Ele está na ala vermelha e o estado de saúde é estável.

O coronel disse ainda para a reportagem do G1 no HGE que, apesar da investida, o sargento não conseguiu impedir a execução. “O indivíduo acabou morrendo. Diante da situação de troca de tiros emitimos avisos para todos os hospitais e postos de saúde para o caso de chegar alguém com ferimento de bala”, falou.

Crime
Segundo informações da assessoria de comunicação da Segurança Pública, o rapaz assassinado foi identificado como Ednelson Aristeu do Nascimento, 17. E os executores como Kalleu Handerson dos Santos, 28, que estava com uma pistola e José Máximo dos Santos, que emprestou um revólver para o primo matar Ednelson.

Já os foragidos foram identificados como Fábio, que é primo do José Máximo, e Erinaldo que também participou do homicídio.

De acordo com o comandante do Batalhão da Polícia de Eventos (BPE), o tenente-coronel Davi Monteiro, o crime que resultou na morte do adolescente e na troca de tiros com o policial foi motivado vingança, já que Ednelson é suspeito de matar um outro jovem.

g1

23/11/2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *