Rui Palmeira faz balanço de sua gestão cutucando Almeida

Rui Palmeira faz balanço de sua gestão cutucando Almeida
Rui Palmeira faz balanço de sua gestão cutucando Almeida

O prefeito tucano Rui Palmeira, esteve no programa TV Pajuçara no domingo com o âncora Ricardo Mota para prestar contas à população dos seus três anos e meio de mandato.

Depois da entrevista, ele falou pelo celular com Blog do Bernardino.Segundo o prefeito, é obrigação de todo gestor público prestar contas dos seus atos à população.

Ele acredita que quem for às ruas apenas com promessas ou para falar mal dos adversários “não vai ter vez com o eleitor”.

“O povo está cheio disso. A população precisa voltar a acreditar na política, por isso estamos mostrando o que já fizemos na cidade, como, por exemplo, licitação das linhas de ônibus que há oito anos atrás não foi relizada, postos de saúde 35 reformados,onde tem postos instalados antes em casebre, com padrões diferenciados na construção de duas UPAs – Benedito Bentes e Trapiche da Barra; construção e reformas de escolas; obras de saneamento básico; construção de vias de mobilidades urbanas, inclusive a avenida Manoel Afonso, além de políticas públicas para mulheres e jovens”, declarou o prefeito.

Para equilibrar as contas do município, frisou, diminuiu o salário dos ocupantes de cargos comissionados, além do dele e do vice, enxugou a folha, renegociou contratos e retirou carros dos secretários.

“Muitos prefeitos cruzaram os braços e hoje amargam atraso salarial e serviços interrompidos. Nós estamos escapando, nunca atrasamos a folha e nem deixamos de prestar os serviços essenciais à população. Enquanto uns choram na crise, outros vendem lenço”, disse Rui Palmeira.

Seus principais adversários são os ex-deputados Cícero Almeida(PMDB) e JHC(PSB).

Rui Palmeira chegou a dizer na entrevista ao Ricardo Mota que cometemos erros, mas acertamos muito mais e deixou os erros para meus adversários apontarem.

No entanto, disse ele, “é bom fazer uma comparação dos meus três anos e seis meses – enfrentando uma crise do governo Federal, onde até a presidenta Dilma Rousseff foi afastada – e os oito anos de Almeida em época boas do governo Federal.

bernadino