Rombo na previdência de Alagoas deve chegar a R$ 1 bilhão

NO VERMELHO. Valor é R$ 200 milhões a mais em comparação ao balanço do ano passado

pre01261116

Como se fosse um consultório médico, a Secretaria da Fazenda monitora a saúde financeira de Alagoas. O titular da pasta, George Santoro, bem parecido com um cirurgião, procura operar com precisão as despesas e a receita do Estado, temendo ser fatal qualquer decisão açodada. Mas, na última quinta-feira, ele confessou que está preocupado.

Apesar dos atuais gastos equilibrados, são as projeções que vão determinar a robustez das contas públicas. Não chega a ser uma Unidade de Tratamento Intensivo, mas o gabinete de Santoro está com alerta ligado. A Reforma da Previdência coloca em risco a vitalidade econômica do Estado. Segundo o secretário, o rombo deste ano do Alagoas Previdência deve chegar a R$ 1 bilhão, R$ 200 milhões a mais do que no ano passado.

O que poderia ser a cura, para Alagoas, as medidas propostas pelo governo federal tendem a complicar ainda mais os cálculos. O que faz Santoro temer é a possibilidade dos 20% dos servidores aptos a se aposentar nos próximos quatro anos em Alagoas, com medo da Reforma Previdenciária, requererem logo a inclusão de seus nomes na massa de inativos, forçando o Estado a gastar mais com futuros concursados.

“Se esses servidores se sentirem ameaçados, vão se aposentar. Esse é o problema, esse é o medo que eu tenho desta Reforma da Previdência”, disse George Santoro, no início da noite da última quinta-feira, em seu gabinete de secretário. “Do jeito que a proposta está, tudo incentiva o servidor a se aposentar logo, porque nas regras novas o cara não leva 100% da aposentadoria”. O secretário defende mais tempo para que a reforma seja discutida.

Outros “incentivos” para quem está perto de se aposentar pegar carona nas regras antigas antes que a Reforma da Previdência seja aprovada, conforme Santoro, é a exigência da idade mínima de 65 anos em vez de 30 anos de contribuição para quem tem menos de 50 anos e a redução da pensão para familiares em caso de falecimento do aposentado.

“São regras muito mais duras do que as regras atuais. Tudo estimula o servidor que está no limiar de se aposentar tentar antecipar a sua aposentadoria”, afirmou George Santoro. “Quem está elegível para se aposentar não vai querer se arriscar, vai se aposentar logo. Como o processo legislativo demora um pouco, porque é uma emenda constitucional, nesse meio tempo, a minha preocupação é uma aceleração das aposentadorias”, confessou ele.

EstadãoAlagoas

27/11/16

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *