Primeiro capítulo da novela A Força do Querer fisga o público pela expectativa

Primeiro capítulo da novela A Força do Querer fisga o público pela expectativa

Difícil fugir da redundância pra definir o impacto causado pelo primeiro capítulo da novela “A Força do Querer”: que estreia forte! A parceria de Glória Perez com o diretor Rogério Gomes, o Papinha, já dá sinais de que além de dar certo, será um sucesso. Das quatro protagonistas anunciadas anteriormente, duas dominaram e brilharam no capítulo desta segunda-feira (3): os dramas de Bibi (Juliana Paes) e Ivana (Carol Duarte) comoveram e envolveram o espectador, ambas mostrando a que vieram. Ritinha (Isis Valverde) foi a expectativa saciada só na última cena e Jeiza (Paolla Oliveira) deixou o público na vontade com sua ausência.

Ivana X Joyce

Na contramão de muitas das tramas que a precederam, “A Força do Querer” teve uma primeira fase curtinha, que pode ser considerada apenas um prólogo. Um dos destaques desse início foi a Ivana-mirim, que deixou bem clara sua insatisfação com os apetrechos todos que a mãe a obrigou a usar durante uma seção de fotos. A menina deu um tom de humor para a cena e como quase toda criança ganha o público pelo carisma. Após a passagem de tempo a tensão entre mãe e filha ficou clara logo de cara. Carol Duarte faz uma ótima estreia e já dá provas de que vai dar conta do recado da personagem, que precisa conquistar a empatia dos telespectadores e levá-los para o seu lado. É uma grande missão, e a atriz mostra estar preparada.

O sonho de Zeca e Ruy: realismo fantástico?

De todo o capítulo, o único senão talvez seja a cena do sonho dos meninos Ruy e Zeca resgatados pelo índio. Nesse momento os efeitos especiais causaram um certo estranhamento, e ficou a dúvida: será que tem realismo fantástico ao longo de toda a trama ou foi só esse momento onírico? Mas, por outro lado, nessa primeira fase Dan Stulbach protagonizou cenas ótimas, como os momentos em que Eugênio se desespera ao ver que o filho caiu no rio, e depois quando conversa com o guia em frente à fogueira, achando que o menino havia morrido. Ah, e Lilia Cabral, como de costume, arrasou. Silvana não deixa dúvidas de que é um prato cheio para todo o talento da atriz.

Bibi, Caio e Rubinho

A trama de Bibi reflete sua personalidade intensa. Ela já começou terminando a relação com Caio (Rodrigo Lombardi) e não só a briga dos dois como o sofrimento do executivo depois de ver a amada com Rubinho (Emílio Dantas) foi de tirar o fôlego. Lombardi foi seguro e também deu intensidade aos sentimentos em cena ainda que não da mesma forma estourada que Juliana (como a personagem pede). Na trilha do casal a canção “Eu te amo” de Chico Buarque foi uma escolha bastante acertada, pois dá a dramaticidade no tom exato. Vimos pouco de Bibi após a passagem de tempo, mas a surpresa que ela ganhou do marido, Rubinho, já virou memes no Twitter, ainda durante a exibição do capítulo.

O gancho da sereia

E no fim, depois de tanto falarem dela, Ritinha deu o ar da graça, saindo de dentro do rio para seduzir não só Zeca (Marco Pigossi) e Ruy (Fiuk), mas também o público. A fotografia das cenas de Isis chama atenção pela atmosfera mística criada, além é claro dos encantos da atriz que mergulha (literalmente, nesse caso), no universo da personagem. Deu para ver pouco ainda de Parazinho e a cultura do Norte, mas o querer mais foi pleno no fim do capítulo. Para amanhã fica a expectativa de mais sereísmo e da chegada da Jeiza, que vem para deixar claro que mulher pode (e deve, e vai) fazer o que quiser.

msn

04/04/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *