Overdose por água, você sabia que é possível?

A água é vital para sobrevivência dos seres humanos e também de outras espécies animais e vegetais. Como todos sabem, ela é o elemento capaz de promover e sustentar o desenvolvimento da vida, não é atoa que as missões espaciais, na tentativa de encontrar vida fora da terra, concentram esforços primeiramente na possibilidade de se encontrar água. Os médicos e outros especialistas recomendam a ingestão diária de dois litros para o bom funcionamento do organismo. Porém, beber água de forma desmedida pode até te levar a morte.

Em 2007, uma mulher residente do estado da Califórnia, nos Estados Unidos, passou mal após beber 6 litros de água. Foi durante uma promoção de uma rádio local que presentearia com um videogame o concorrente que fosse capaz de beber maior quantidade do líquido. Outro caso já havia acontecido em 2005, quando uma jovem de 21 anos foi coagida a beber muita água durante uma atividade física, que era realizada em um cômodo residencial congelado. Há relatos também de que pessoas que consumiram muita água depois de tomar ecstasy.

AGUA2

A dica é beber água na medida da sede.

O nome que se dá ao diagnóstico provocado pelo consumo deliberado de água é hiponatremia. Ou seja, quando se bebe água demais, alguns minerais de extrema importância para organismo começam a se diluir, reduzindo assim as concentrações deles no sangue. Um desses minerais é sódio, ligado ao controle do volume do plasma, á condução dos impulsos nervosos, conhecidas como sinapses, e também à atividade dos músculos. Os rins também sofrem com o volume exacerbado de água. Eles são incapazes de filtrar uma quantidade demasiada, sendo que essa água então vai para as células, inchando-as. Muitas delas conseguem absorver o excesso, mas os neurônios podem lançar mão desse mecanismo, já que não espaço para tal dentro do crânio. E isso pode causar um edema na região, provocando convulsões, coma, problemas respiratórios, hérnia no cérebro e morte.

A boa notícia é que casos como aqueles apontados acima não acontecem simplesmente porque se consumiu água demais. A situação requer também que haja aumento da produção de hormônio antidiurético no organismo, hormônio esse que estimula os rins a reterem água. Sua concentração aumenta na corrente sanguínea quando, por exemplo, se corre uma maratona. Sendo assim, o conselho é que você beba água de acordo com a quantidade de líquidos que perde na urina, suor e fezes. Mas, não é fácil calcular exatamente o quanto de líquido se perde durante uma atividade e, também o quanto é necessário repor. Ou seja, a dica de ouro é, então, beber água na medida da sua sede.

Climatologia Geográfica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *