“Ouvi uma voz falando: mata”, diz pai de menino espancado em assalto

Garoto morreu. Caso aconteceu em Caravelas, no sul da Bahia. Adolescentes confessaram crime; eles foram agredidos em cela.

Apresentação1

O pai do menino Felipe Gomes, de 8 anos, que morreu após ser espancado durante uma assalto na cidade de Caravelas, no sul da Bahia, falou sobre o crime pela primeira vez. Valdeixon Lisboa dos Santos, 49 anos, estava com o filho e também foi agredido a pauladas. As marcas da violência ainda estão por todo corpo dele.

“Eu senti só uma pancada na cabeça, eu caí. Aí eu lembro que eu abri meus olhos e vi meu filho em pé, com o capacete, me olhando e eu ouvi uma voz falando: mata. Fui agredido de novo no meu rosto, aí um [suspeito] gritou: oh, seu filho aqui, rapaz. Quando eu voltei ele [suspeito] já estava saindo com a moto e meu filho caído no chão”, relatou.

Felipe e o pai estavam indo para o sítio da família no povoado de Volta Miúda, em Caravelas, para realizar um desejo do menino de tirar o leite de uma vaca que ganhou de presente. Na estrada, eles foram abordados por dois adolescentes, que além de roubar dinheiro e a moto que os dois estavam, agrediram pai e filho com pedaços de pau. Felipe chegou a ser socorrido para um hospital pelo pai e por um trabalhador que passava pelo local, mas não resistiu aos ferimentos. “Uma criança adorável. Só quem conviveu com Felipe pra saber”, disse Valdeixon.

Os dois adolescentes foram apreendidos em Rancho Alegre, distrito de Caravelas, e confessaram ter matado o menino Felipe e agredido o pai dele durante o assalto. Segundo a polícia, eles têm 15 e 16 anos e disseram que decidira matar as vítimas para que não fossem reconhecidos por eles e denunciados à polícia. Os jovens estão na Delegacia de Teixeira de Freitas, também no sul do estado.

Um protesto contra a violência e a morte da criança fechou a BR-101, na região de Caravelas, na manhã desta quarta-feira (27). Os moradores do distrito de Rancho Alegre protestaram contra a violência na localidade.

Suspeitos agredidos
Os dois adolescentes suspeitos de espancar e matar Felipe Gomes Lisboa foram agredidos dentro da carceragem da Delegacia de Teixeira de Freitas onde estavam apreendidos desde sábado (23).

De acordo com a polícia, a dupla estava em uma cela destinada a menores infratores e foi agredida por quatro adolescentes na noite de terça-feira (26).

Os menores receberam chutes e pontapés, que deixaram escoriações leves. Os agressores tentaram atingir a dupla com um instrumento pontiagudo, feito com cabo da escova, mas acabaram detidos pelos agentes da unidade policial.

De acordo com o coordenador da 8ª Coorpin, Cléber Gonçalves, os agressores alegaram que não concordavam com a morte da criança. A dupla foi transferida para outra cela na mesma unidade.

Segundo o coordenador, a polícia aguarda decisão da Justiça para saber qual a medida socioeducativa que vai ser aplicada contra os menores, que devem ser transferidos para uma unidade de atendimento a adolescentes infratores.

Protesto
Familiares e amigos de Felipe Gomes Lisboa realizaram um protesto na terça-feira (26), em Teixeira de Freitas. Os manifestantes pediram justiça pela morte da criança. O grupo levou bexigas brancas para simbolizar a paz e circulou com cartazes com pedidos de redução da maioridade penal.

Caso
A criança de oito anos morreu após ter sido espancada por dois adolescentes durante um assalto em uma estrada que dá acesso à localidade de Volta Miúda, distrito do município de Caravelas, região sul da Bahia, na sexta-feira (22).

A vítima estava na companhia do pai, a bordo de uma motocicleta, quando ambos foram surpreendidos. Os assaltantes fugiram com a moto e documentos do pai da criança e foram localizados pela polícia na madrugada de sábado (23).

Segundo informações da delegacia da cidade, pai e filho foram socorridos para o Hospital Municipal de Teixeira de Freitas, mas a criança não resistiu aos ferimentos.

Um dos adolescentes envolvidos no crime disse à polícia, em depoimento, que foi o comparsa quem o incentivou a matar a criança. A informação é da delegada Rosângela Santos, que investiga o caso.

O mesmo adolescente, de 15 anos, confessou em depoimento, ter matado um idoso após roubá-lo há três meses em Caravelas.

Inicialmente, os jovens tinham dito à polícia que não sabiam que uma das vítimas se tratava de uma criança.

g1.globo.com

27/07/16