Maurício Quintella integra comissão que vai avaliar pedido de impeachment

b659bae7-8060-4a8e-b884-c2a9f65d475a

Líder do Partido da República (PR) na Câmara, o deputado Maurício Quintella (AL) definiu hoje (7) os quatro nomes a que o PR tem direito na Comissão Especial que vai analisar o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Segundo Quintella, os titulares do partido no colegiado são, além do próprio líder, os deputados Aelton Freiras (MG), Márcio Alvino (SP) e Lúcio Vale (PA). Para suplência foram indicados os deputados deputados Miguel Lombardi (SP), Altineu Cortes (RJ),  João CArlos Bacelar (BA) e Wellington Roberto (PB).

Em setembro de 2015, a presidente Dilma Rousseff atendeu a um pedido da bancada do PR e indicou o vice-presidente do PR em Alagoas, Fernando Fortes Melro Filho, para a diretoria financeira do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). No dia 22 de outubro, Melro foi nomeado ao cargo.

No dia 5 de novembro, Maurício Quintella acompanhou a presidente Dilma em uma reunião com representantes do setor produtivo de Alagoas no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso. Nesse dia, a presidente havia participado da solenidade de inauguração do 3º trecho do Canal do Sertão.

O colegiado será composto por 65 titulares e igual número de suplentes. As cadeiras serão distribuídas proporcionalmente ao tamanho de cada bancada. O PT e o PMDB são as legendas com maior número de vagas na comissão: oito para cada

PT

O líder do PT na Câmara, deputado Sibá Machado (AC), informou os oito petistas que vão participar da comissão especial do impeachment. Além do próprio Sibá e do líder do governo na Casa, José Gumarães (CE), também ocuparão assentos os deputados Wadih Damous (RJ), Henrique Fontana (RS), José Mentor (SP), Arlindo Chinaglia (SP) – adversário de Eduardo Cunha na eleição para a presidência da Câmara -, Paulo Teixeira (SP) e Vicente Cândido (SP).

PSB

A bancada do PSB já anunciou três dos quatro titulares. Estão definidos o líder do partido na Câmara, Fernando Coelho Filho (PE), Danilo Forte (CE) e Tadeu Alencar (PE). A decisão está sendo no voto. A quarta vaga está sendo disputada por três parlamentares: Luiza Erundina (SP), João Fernando Coutinho (PE) e Bebeto (BA).

Fernando Coelho disse que, na bancada, prevalece a posição favorável ao partido votar pelo afastamento de Dilma. Dos 34 deputados, em torno de 20 teriam essa opinião. Mas a decisão se dará na próxima quarta-feira, quando a Executiva do partido se reúne, em Brasília.

PSC

O PSC, partido com uma bancada de 14 deputados, irá defender o impeachment da presidente Dilma Rousseff na comissão. O líder do partido, André Moura (PSC-SE), um dos mais próximos aliados do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), indicará os deputados Eduardo Bolsonaro (RJ) e Pastor Marco Feliciano (SP) para o colegiado. Como suplentes ficarão os deputados Irmão Lázaro (BA) e Delegado Macos Reategui (AP).

PMDB

O grupo dentro do PMDB que é contrário à presidente Dilma Rousseff está articulando a construção de uma chapa alternativa para disputar as vagas a que o partido tem direito dentro da comissão do impeachment. A ideia é evitar que os nomes indicados pelo partido sejam todos alinhados com o Planalto.

No PMDB, as escolhas cabem ao líder Leonardo Picciani (RJ). Segundo o deputado Washington Reis (RJ), as escolhas de Picciani serão em peso a favor de Dilma. Ele disse que, além de Picciani, já foram escolhidos para integrar a comissão o deputado José Priante (PA) e o próprio Reis. E que ambos votarão contra o impeachment, seguindo o líder.

O CadaMinuto tentou contato com o deputado Maurício Quintella por telefone, mas as ligações não foram atendidas.

Cada Minuto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *