Inimigos ontem, aliados hoje, mas amanhã?

JOÃOZINHO CRITICAVA RENAN FILHO POR NUNCA TER FEITO NADA PELO SEU MUNICÍPIO POR ESCONDER SEU PAI NA CAMPANHA (FOTO: DIVULGAÇÃO)

A política brasileira continua exigindo do cidadão mais do que ele é capaz de oferecer, quando se trata de entender a esquizofrenia de quem detém cargos e responsabilidade pública com o que diz ou faz. Como entender agora os comportamentos do governador Renan Filho e o prefeito de Teotônio Vilela , Joãozinho Pereira, quando há bem pouco estavam os dois em palanque diferentes e o prefeito detonando o governador e seu pai , senador Renan Calheiros . Como aquele que escrachava um ao outro ontem, hoje estão os dois no mesmo palanque, abraçando os mesmos projetos, lado a lado fazendo coraçãozinho para os fotógrafos registrarem?

São coisas assim que minam o crédito das pessoas na política e que deveriam merecer uma melhor reflexão de líderes do tamanho destes dois que desfilam incoerências em meio a uma disputa que só objetiva uma coisa: poder.

Conforme postagem do jornalista Davi Soares do Diário do Poder no domingo(2) , o novo ‘aliado’ do governador chamou seu pai, o senador Renan Calheiros de ‘LADRÃO DE PETRÓLEO’ , durante um discurso na campanha de 2014. O então deputado estadual e agora prefeito do município alagoano de Teotônio Vilela, Joãozinho Pereira trocou o PSDB pelo PMDB, no dia 24 de março, após 14 anos, e irritou os tucanos, ao dizer que sua família “vota em quem trabalha”. Uma mudança brusca do discurso feito há menos de dois anos.

No vídeo que circula pelas redes sociais e grupos do aplicativo WhatsApp, o ex-tucano Joãozinho Pereira faz referência às primeiras citações de Renan Calheiros no escândalo do petrolão, que o tornou multinvestigado em decorrência da Operação Lava Jato. E também critica Renan Filho por ter tido votos em Teotônio Vilela e nunca ter feito nada pelo município. Além disso, acusa o então candidato a governador de esconder o seu pai, dizendo ser filho de Alagoas, na propaganda eleitoral.

O ingresso de Joãozinho Pereira no PMDB foi festejado porque o prefeito, além de ter grande capital eleitoral, tendo sido eleito o deputado estadual mais votado de Alagoas em 2010, é sobrinho do senador Benedito de Lira (PP), adversário de Renan na disputa pela reeleição em 2018 e que disputou e perdeu para Renan Filho a eleição de 2014 para o Governo de Alagoas.

“Até o filho do Renan teve voto aqui, ó! 228 votos. Um candidato que nunca fez nada por Teotônio Vilela se lança candidato, agora, a governador. O pai dele é perdido. Ele até esconde o pai. Você tem medo da pessoa que esconde o pai. ‘Quem é seu pai? Alagoas!’. Seu pai é Renan Calheiros, diga! Diga que seu pai é Renan Calheiros, ladrão de petróleo! Diga!”, desafiou Joãozinho em 2014, no palanque do tio e de Fernando Collor.

Assista: PREFEITO DO PMDB ATACOU SENADOR EM COMÍCIO EM ALAGOAS

‘ATO DE FIDELIDADE’

Procurado pelo Diário do Poder para explicar sua mudança de opinião sobre o perfil de seus ex-adversários e agora aliados, Joãozinho Pereira exaltou ter sido eleito prefeito pela primeira vez aos 22 anos, após ingressar na política aos 16 anos. E falou em erros e acertos, apesar e não admitir claramente ter errado ao chamar Renan de ladrão em praça pública. “Já errei, já acertei, já apreendi muito, pois nesta vida somos eternos aprendizes”, disse.

Questionado diretamente se foi um erro chamar Renan de ladrão de petróleo, Joãozinho explicou sua descompostura como um ato de fidelidade, do qual sugere estar arrependido.

“Não é isso. Cada eleição tem suas histórias. Eu sou muito fiel ao lado que estou. Defendo a minha bandeira com todo gás. Mas como lhe disse, vamos aprendendo com o tempo. Hoje defendo, mas não precisa chegar a determinados pontos. Não vale a pena. Eu tenho tanto trabalho. Faço tanto, pra quê estar falando de ninguém? O Governador Renan Filho é um homem que, desde o início do mandato, desceu do palanque. Minha região só ganhou com nossa união”, explicou Joãozinho.

Diário do Poder tentou contato com o governador Renan Filho e a assessoria do senador Renan Calheiros, mas não obteve retorno até a publicação. Mensagens foram enviadas e o espaço fica aberto para ambos explicarem se tinham conhecimento do discurso de Joãozinho Pereira e como superaram essa agressão contra a honra do senador, ao abraçar quem deveria ser tratado como inimigo.

O ingresso de Joãozinho no PMDB finaliza um processo de transição de boa parte da família Pereira para o grupo dos Calheiros. Em janeiro, Renan Filho empossou o irmão de Joãozinho e ex-prefeito de Junqueiro como secretário de Assistência e Desenvolvimento Social do Estado. O que irritou a base do governador peemedebista, pelo espaço privilegiado dado a um ex-adversário político.

Redação 

Com informações Diário do Poder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *