Histórias de sertanejos mostram a satisfação em ter os serviços centralizados

Serviços direcionados ao cidadão beneficiam santanenses durante Governo Presente

d5b612e1b22c50b28c4d19a0857f7137_L

“Se tem uma coisa que me orgulho nessa vida é de ser sertanejo. De ser dessa terra”.  Foram com essas palavras que o aposentado de 63 anos, Antônio Silva, emendou uma conversa com a equipe de reportagem da Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag), na Arena da Cidadania, construída em Santana do Ipanema, uma das cidades que está recebendo mais uma edição do Governo Presente.

Apesar da dificuldade de locomoção e das marcas deixadas pelas quentes temperaturas do Sertão alagoano, Seu Antônio, como gosta de ser chamado pelos mais próximos, disse que não deixaria passar a oportunidade de emitir a segunda via de seu RG de um jeito tão prático e rápido.

“A gente que é vivo precisa ter documento. Tem que ser identificado e registrado como diz a história, não é? Fiquei sabendo que poderia tirar a segunda via do meu RG pelo rádio e não contei história:  corri para tirá-lo”, contou o aposentado enquanto segurava um pedaço de madeira, utilizado por ele como muleta.  Para ele, as recentes ações feitas pelo governador Renan Filho têm mostrado que um novo futuro para os sertanejos é possível.

“Eu sempre acreditei que o Sertão é uma terra de gente trabalhadeira e forte. Precisamos mesmo de alguém que nos dê essa atenção. Tem muita gente precisando das coisas mais básicas por aqui. A felicidade de ver toda essa estrutura é muita. Sei que estamos melhorando”, contou Seu Antônio, enquanto relembrava das histórias de Santana do Ipanema.

E, de fato, são as pequenas mudanças que contribuem para as grandes transformações.  A aposentada Maria Lúcia Santos, também moradora de Santana do Ipanema, relatou a importância desse tipo de ação para a região em que ela e seus filhos moram.

“Vim tirar o meu Cartão do Idoso e estou encantada com o trabalho que vi em Santana. Já queríamos que esses serviços estivessem aqui, mas sabemos da dificuldade. Estão sendo dias de felicidade, disso tenho certeza”, disse a aposentada que também conversava com o Seu Antônio, enquanto esperava para ser atendida pelas equipes da Arena.

Novos horizontes

Emocionantes e cheias de realidades, as histórias dos dois sertanejos convergem para um dos pontos principais da atual gestão governamental: a proximidade com os cidadãos.  E para que isso seja efetivado, é preciso, entretanto, que novos horizontes sejam construídos.

Uma das ações planejadas, por exemplo, é levar um serviço para a região do Sertão que possa atender as demandas dos moradores da região de maneira centralizada. Ainda em estudo, a viabilidade da construção de uma Central Já! de Atendimento ao Cidadão em um dos municípios circunvizinhos já tem, inclusive, animado a população.

O secretário do Planejamento, Gestão e Patrimônio, Christian Teixeira, avalia que é obrigação do Estado promover melhorias para as pessoas que estão mais distantes dos grandes centros urbanos. Para ele, a demanda tem aumentado e, por isso, tem se tornado importante a centralização de alguns serviços básicos de atendimentos.

“Um governo forte é aquele que está próximo ao cidadão e, principalmente, que consegue atendê-lo da melhor forma. Com planejamento e gestão, temos certeza que conseguiremos construir uma nova realidade para Alagoas. É preciso que novos horizontes sejam traçados”, salientou Teixeira, ao visitar o espaço em que os santanenses eram atendidos.

Igor Gouveia – Agência Alagoas

23/07/16