BPEsc vai reforçar policiamento em escolas após ações criminosas

assassinato

Após duas ocorrências policiais próximas de escolas na capital e que resultaram em um morto e dois feridos, a Polícia Militar irá apertar o cerco contra a violência. O Batalhão de Polícia Escolar (BPEsc), considerou as ações criminosas como distintas, mas disse que seguirá intensificando as operações de rotina nas imediações das instituições de ensino.

De acordo com o Comandante do BPEsc, Major Marlon Araújo, os dois casos tiveram naturezas diferentes. “As situações são próximas às escolas , mas fatos totalmente distintos. Ontem foi um assalto e hoje uma ocorrência característica de execução, mas espalharam que pai e filho foram vítimas de assalto”, afirmou.

Sobre o caso desta terça-feira (14), no qual o aluno de uma escola no Santos Dumont ficou ferido, enquanto uma pessoa morreu, o Major descartou amizade entre os dois. “O aluno nem conhecia a vítima. Balas perdidas atingiram o aluno”, disse.

Leia mais: Aluno fica ferido e amigo morre em atentado na frente da escola

Questionado se haverá alguma mudança nas ações do Batalhão, o Major Marlon Araújo afirmou que já existe um trabalho sendo feito e que será intensificado. “Vamos continuar o trabalho, tanto que esse ano já retiramos do entorno das escolas 33 armas de fogo. Ano passado em 12 meses foram 31 e durante todo ano de 2014, foram 34 armas recolhidas”, explicou.

Outra medida que será tomada se refere aos horários das rondas policiais. “Vamos intensificar os horários de chegada e saída, para atenuar esse avanço. São 246 escolas, entre públicas municipais e estaduais, além das particulares e as faculdades”, concluiu.

Os dois casos registrados nesta semana aconteceram em unidades de ensino particulares. A primeira na segunda-feira, o pai de um aluno foi baleado no braço após ser assaltado no Antares e nesta terça-feira, um ação característica de execução deixou um morto e um jovem ferido.
Paulo Chancey Júnior – Cada Minuto