Bolsa Família vai transferir para AL R$ 100 milhões por ano, diz ministro

Informação foi repassada durante coletiva de imprensa do Palácio

cartao-bolsa-familia-2016

Diante do reajuste de 12,5% no valor dos benefícios do Programa Bolsa Família, concedido em junho pelo governo federal, Alagoas deve receber cerca de R$ 100 milhões por ano em transferência do programa, disse o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, durante coletiva de imprensa concedida, na manhã desta quarta-feira (27), no Palácio do Governo de Alagoas, em Maceió.

“Estes são gastos voltados para a sobrevivência da família. O ideal era que não precisássemos do bolsa família. Mas como nós vamos ter por muitas décadas uma população que não consegue se sustentar, o presidente vai manter”, falou o ministro, ao evidenciar que apesar da manutenção do programa social o governo deferal está realizando um pente-fino para detectar possíveis irregularidades.

Investigação
De acordo com Osmar Terra, desde segunda-feira (15), um comitê vinculado ao governo federal está cruzando informações dos beneficiários do Bolsa Família para saber se há no cadastro pessoas que não possui o perfil econômico e social recebendo o benefício.

O secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, Alberto Beltrame, explicou que a comissão é composta pelo Ministério do Trabalho, Ministério da Fazenda, Tribunal de Contas da União (TCU), e será acompanhada pelo Ministério Público Federal. “Pelo que estamos verificando de levantamento de alguns órgãos, o número de fraudes ode ficar entre 1% a 10%”, disse.

Além da equipe de fiscalização, o ministro disse que outros dois comitês foram criados para a melhoria do programa. Um deles é o de inslusão produtiva, que vai fazer parcerias com grandes empresas e entidades como Sebrae e Sesc para criar oportunidades para as famílias saírem da linha da pobreza.

“Esse pacote deve ser executado em um prazo de 40 a 60 dias. Também queremos estimular os prefeitos para que dêem um paso adiante para as famílias se emanciparem. Nós estamos criando um prêmio para o município”, informou.
Outro grupo de trabalho anunciado para ser lançado em agosto é o programa da primeira infância que é voltado ao cuidado de crianças atendidas pelo Bolsa Família, na faixa de zero a seis anos de idade. “As pesquisas nos últimos 20 anos apontam que uma criança é estimulada nos primeiros mil dias de vida”, disse.

diarioarapiraca.com.br

27/07/16