Após críticas dos vizinhos, Ludmilla aluga apartamento na Barra

Ludmilla na mansão em que morava na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio. Foto: Luis Alvarenga
Ludmilla na mansão em que morava na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio. Foto: Luis Alvarenga

As noites serão mais tranquilas no bairro da Ilha do Governador. Uma das moradoras mais ilustres (e festeiras) da região, Ludmilla acaba de se mudar para a Barra, onde alugou um apartamento de frente para o mar — ela até postou uma foto, com a bela vista de sua casa nova.

Vida boa: Ludmilla e a vista para o mar de seu apartamento. Foto: reprodução
Vida boa: Ludmilla e a vista para o mar de seu apartamento. Foto: reprodução

A cantora está morando pela primeira vez sozinha, num grito de independência. Na mansão da Zona Norte, palco de várias festas e churrascos que deram o que falar, ela vivia sob o mesmo teto que a mãe e a irmã, além de outros parentes. A casa, que ela comprou do cantor Buchecha e ocupa um quarteirão inteiro no bairro, ficou para a família.

O motivo da mudança, segundo a assessoria da artista, foi profissional: “Os ensaios começaram a ficar muito intensos e para que ela pudesse descansar, resolveu se mudar para um apartamento na Barra para facilitar a logística”. Mas o fato é que pesaram também (e muito) as críticas que Ludmilla vinha recebendo por causa do transtorno causado pelas festas barulhentas em sua casa na Ilha, que costumavam varar a madrugada. As reclamações da vizinhança viraram notícia.

Ludmilla toca violão em sua nova casa na Barra Foto: reprodução
Ludmilla toca violão em sua nova casa na Barra Foto: reprodução

Nesta semana, inclusive, uma moradora postou um vídeo no Facebook em que se ouvia o som alto vindo da casa da cantora. “Que respeito, Ludmilla? Você respeita os seus vizinhos? Com esses palavrões todos nessas músicas? Isso não é respeito! Tem bebê pequeno, vizinhança querendo descansar”, dizia a moradora nas imagens. Na política da boa (agora ex) vizinhança, Lud rebateu alegando que a festa de aniversário de 18 anos da irmã foi só até as 20h: “Se a vizinha da família tivesse manifestado seu incomodo no momento, entrado em contato ou ido até a residência, teria sido muito bem atendida e o som seria diminuído”.

Extra