ALE-AL aprova projeto de lei para tornar vaquejada patrimônio cultural

Projeto estava travado na Assembleia Legislativa há mais de um ano. Após aprovação de deputados, texto segue para sanção do governador.

vaquejada1

Os deputados estaduais de Alagoas aprovaram nesta quarta-feira (23), em 2º turno, o projeto de lei que torna vaquejada Patrimônio Cultural Imaterial de Alagoas. Para virar lei, o texto ainda precisa ser sancionado pelo governador Renan Filho (PMDB), que já se posicionou favorável à prática por meio de postagens em seus perfis nas redes sociais.

O projeto é de autoria do deputado estadual Dudu Hollanda (PSD) e vinha se arrastando na Assembleia Legislativa desde 2015, quando foi submetido à apreciação da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Este ano, diversas ações do Ministério Público do Estado de Alagoas (MP-AL) pediam a suspensão de vaquejadas no estado devido aos riscos à saúde dos animais . Alguma delas foram deferidas liminarmente pela Justiça.

A polêmica para proibir vaquejadas ganhou força em todo o país depois que o Supermo Tribunal Federal (STF) considerou a prática inconstitucional.

Em entrevista ao G1 meses após apresentar a proposta, o deputado defendia que a vaquejada, além de ser uma prática histórica, movimenta a economia local. “Alagoas não tem esse reconhecimento da vaquejada como patrimônio histórico. Existem milhares de praticantes, e ela, a cada ano, se propaga, cresce e se desenvolve, movimenta a economia e gera empregos”.

Representantes de entidades defensoras dos animais, entretanto, são contra o uso de animais nesses tipos de atividades. Eles acreditam que é uma forma de crueldade contra os animais

G1

23/11/2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *