Adolescente de 14 anos é enterrado vivo durante sessão de tortura em praia

torturaUm adolescente de 14 anos foi enterrado vivo na areia da Praia de Intermares, em Cabedelo, na Grande João Pessoa (PB). Um homem de 21 anos e um garoto, também de 14, foram detidos. Além de ser enterrada, a vítima foi humilhada. A sessão de tortura foi gravada com um celular.

O adolescente foi enterrado vivo por colegas surfistas na tarde de quarta-feira (8). Os próprios autores gravaram a sessão de tortura com um celular. Primeiro, eles amarraram as mãos e os pés do garoto, enquanto outro adolescente cavava um buraco na areia.

Ele foi segurado pelo único adulto do grupo de seis surfistas: Anderson José da Silva, de 21 anos, apelidado de Janjão. Nas imagens, é possível ver o menino passando mal e implorando para que parassem com a tortura.

O menino foi colocado no buraco e coberto com areia, ficando apenas com a cabeça para fora. A vítima continuou implorando para poder sair, enquanto os torturadores zombavam dele e jogavam areia em sua cabeça.

Em outro momento, os suspeitos tentam colocar um balde na cabeça da vítima para que não pudesse respirar. O menino consegue livrar uma das mãos e retira o balde. Depois, os garotos fazem uma cruz atrás do menino com duas pranchas de surf, o agridem e um deles ainda urina na cabeça dele.

Após mais de oito minutos de tortura, o grupo retira o menino do buraco, mas ele não consegue sair devido à fraqueza e recebe a ajuda de um homem desconhecido.

Segundo o pai do adolescente, esta foi a primeira vez que o menino foi sozinho à praia. Ele costumava deixar o filho em Intermares para que ele pudesse surfar, mas não pode acompanhá-lo naquele dia. O homem disse que conhece todos os suspeitos, inclusive um deles já estudou em um colégio onde ele trabalhou como inspetor de alunos. O garoto compareceu com o pai na delegacia para prestar depoimento.

A polícia conseguiu apreender um adolescente de 14 anos e prender Janjão. De acordo com o delegado responsável pelo caso, a polícia já havia recebido denúncias de torturas semelhantes na praia. Os suspeitos vão responder por crime de tortura. A polícia faz busca para localizar os outros quatro suspeitos.

Fonte: R7