Acusada de fraude, Camisaria Colombo luta para pagar dívida de R$ 1,5 bi

Sem receber, pequenos fornecedores da rede de vestuário podem quebrar

2dqx3ugsax_6h86qlh7a1_file

Em crise e sob acusação de fraude, a Camisaria Colombo, dos irmãos Álvaro e Paulo Jabur Maluf, luta para se recuperar de uma dívida de cerca R$ 1,5 bilhão.

Parte dos credores da empresa são bancos, mas há também fornecedores entre eles. Com a situação do grupo, os pequenos credores sofrem também para manter seus negócios e podem quebrar.

Em dois anos, o faturamento da Colombo teria caído 37%. No mês passado, o grupo negociou acordo para alongar os prazos da dívida.

De acordo com texto publicado no portal Businesswire nesta quarta-feira (20), o Garnero Group, que pretendia assumir a Colombo, anunciou a interrupção do negócio devido a “violações” no acordo cometidos pela rede de vestuário.

Empresa familiar fundada em 1917, no centro São Paulo, a Camisaria Colombo abriu sua primeira filial na década de 1990, no shopping Ibirapuera, passando por uma forte expansão a partir da década de 2000.

Hoje, a rede possui pontos de venda em cidades do interior de São Paulo e em Estados do Sudeste e das outras quatro regiões do País.

O advogado responsável pela reestruturação da dívida da Colombo, Pedro Bianchi, afirma que não houve fraude por parte da empresa.

— Eu acredito que seja um erro de tradução da palavra “breaches”, de quebras que houve no investimento. Mas, essas quebras são, na verdade, de ordens comerciais, que não se alcançou requisitos comerciais de investimentos por questões obvias de que o Brasil não está alcançando os índices comerciais.

noticias.r7.com.br

21/07/16