Modelo britânica diz que não forjou história sobre sequestro

O advogado de uma modelo britânica de 20 anos no centro de um suposto sequestro ocorrido na Itália negou as insinuações de que o caso foi uma farsa depois que a mídia local questionou sua história.

No sábado a polícia italiana disse ter prendido o suposto sequestrador, que confessou estar envolvido em uma trama para leiloar a modelo pela internet a menos que um resgate de 300 mil dólares fosse pago, informa o Terra.

Mas pessoas do vilarejo italiano onde Chloe Ayling disse ter sido mantida cativa disseram à mídia local que ela e o homem saíram juntos.

Alguns moradores disseram à emissora estatal Rai que a dupla foi a um bar e que ela também saiu para comprar sapatos com Lukasz Pawel Herba, de 30 anos, morador do Reino Unido nascido na Polônia, antes de ele entregá-la para o consulado britânico em Milão.

“A insinuação de que ela estava envolvida (na trama) – como li com desgosto em alguns jornais hoje de manhã – é simplesmente inimaginável”, disse Francesco Pesce, advogado sediado em Milão, à Reuters.

Chloe disse à polícia que foi atraída a Milão no mês passado para fazer uma sessão de fotos, de acordo com documentos da polícia vistos pela Reuters . Ela afirmou que, ao chegar ao estúdio, foi drogada, amordaçada, amarrada, colocada em uma sacola e depois no bagageiro de um carro e levada a um vilarejo no noroeste da Itália, onde foi mantida por seis dias.

Quatro ou cinco homens participaram do rapto, de acordo com seu relato.

Herba disse à polícia que a libertou e entregou ao consulado depois que o grupo soube que ela tem um filho pequeno, de acordo com documentos que descrevem seu depoimento.

A polícia de Milão, que ainda está investigando o caso, não quis comentar nesta terça-feira (8).

08/08/2017