Desabamento de prédio mata criança e deixa soterrados

Um prédio de quatro pavimentos onde moravam sete pessoas da mesma família desabou na manhã de chuvas desta terça-feira (13), na Rua Alto de São João, no bairro de Pituaçu, em Salvador. Um menino de 12 anos, de prenome Robert, morreu, de acordo com a Secretaria de Saúde do Município (SMS).

Segundo Juliana Portela, da Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps), três pessoas moravam em um andar de cima: um homem, a mulher dele – que teve ferimento na face -, e a filha deles, um bebê. Todos eles já foram retirados do imóvel e levados para o Hospital Geral do Estado (HGE). Eles foram identificados como Alex Pereira de Jesus, de 29 anos, Beatriz, de 30 anos, e Sabrina Menezes, de 11 meses, atesta o G1.

No andar de baixo, moravam um homem e uma mulher – irmãos do homem que morava em cima – e duas crianças, o menino que morreu e um bebê de um ano. Os irmãos foram identificados como Rosemeire Pereira de Jesus, 34 anos, e Alan Pereira de Jesus, de 31 anos e o bebê tem o prenome Artur.

Por volta das 9h30, os bombeiros começaram a fazer a retirada de um dos adultos dos escombros e a operação não foi finalizada até por volta das 11h. Outro adulto e Artur ainda não foram localizados. Não há informações sobre o estado de saúde deles.

O coordenador de Urgência e Emergência de Salvador, Ivan Paiva, informou que a vítima que começou a ser retirada está sob uma laje. “A situação é bastante crítica. É pouca a possibilidade de ela estar viva. Houve desabamento que a gente chama de esturura colapsada. A vítima encontra-se sob uma laje e os bombeiros estão fazendo retirada desse material para afzer avaliação se ela está viva ou não, mas as possibilidades são remotas”, disse.

A criança morta foi retirada por volta das 7h30 dos escombros.

Quatro ambulâncias do Samu atuam no local do resgate. Moradores da localidade e bombeiros também estão nos trabalhos, na tentativa de retirar as demais vítimas. O desabamento ocorreu por volta das 6h.

O prédio ficava no final de um beco estreito na Rua Alto do São João. Moradores se aglomeraram no espaço para acompanhar o resgate das vítimas, e a quantidade de pessoas no caminho chegava a atrapalhar a passagem das equipes.

O diretor-geral da Defesa Civil de Salvador, Sosthenes Macedo, informou que um dos moradores que sobreviveu disse que o prédio era dividido em quatro pavimentos: subsolo, térreo, primeiro e segundo andar. A construção teria cinco anos.

O diretor-geral afirmou ainda que a avaliação preliminar é de que a construção do prédio era irregular. “Somente depois da área limpa, para enxergar a fundação, a estrutura que foi construída, para fazer o levantamento da edificação. Só com o término do procedimento. Agora o foco é efetivamente buscar os possíveis sobreviventes”, detalha.

“Os engenheiros informam que muito provavelmente foi uma falha na técnica de construção da edificação, que pode ter gerado esse tipo de situação, somado com a chuva desse período, que passou em 50% da perspectiva que estava prevista para todo o mês de março, apenas nas últimas 12 horas”, disse Sosthenes Macedo.

Segundo Juliana Portela, da Semps, quatro casas vizinhas ao prédio foram atingidas com o desabamento e duas delas correm risco de desabar. Os imóveis locais foram isolados e as famílias devem receber auxílio-moradia da prefeitura. As famílias que moravam nas casas que desabaram também serão assistidas pelo benefício.

“O auxílio-moradia é no valor de R$ 300, e o auxílio-emergência vai de um a três salarios míninos a depender das perdas. É prudente que elas (moradores) não retornem. Elas podem rertornar par abuscar pertence, acompanhado de engenheiro, a depender da avaliação desse profissional. Esses imóveis serao demolidos tão logo encerrem a busca das vítimas”, disse Juliana.

Chuva em Salvador

Com as chuvas, Salvador registrou diversos pontos de alagamento e também acidentes na manhã desta terça. Três acidentes envolvendo ônibus, micro-ônibus e van deixaram ao menos oito feridos.

Um poste de energia caiu em cima de, ao menos, dois carros no final de linha do bairro do Marback, em Salvador. Por conta disso, a região ficou sem energia elétrica.

O caso ocorreu por volta das 4h. Moradores dizem que o equipamento já aparentava risco de cair e que acionaram a Coelba, concessionária de energia elétrica, que por sua vez teria prometido que o equipamento seria trocado nesta terça-feira.

13/03/2018