Com assistência da Emater, agricultor do Agreste aumenta renda em mais de 40%

O agricultor Sebastião Pedro Santos, de Limoeiro de Anadia, compartilhou, nesta terça-feira (8), com técnicos participantes do 4º módulo de formação de Agentes de Assistência Técnica e Extensão Rural, os avanços conquistados em sua rotina produtiva após chegada da assistência técnica da Emater e que garantiram incremento de mais de 40% em sua renda anual.

Morador do Povoado Poço Comprido, seu Sebastião teve o primeiro contato com a Emater durante reunião promovida na comunidade, em 2016, pelo agrônomo Mário Jorge Nunes, responsável pela assistência técnica na região. À época, o agricultor cultivava apenas abacaxi e mantinha grande parte de sua propriedade sem produções significativas ou qualificação, prejudicando a geração de renda.

“Após a primeira reunião na comunidade, seu Sebastião me procurou para emissão da Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), documento que garante o acesso a políticas e crédito rural pelo agricultor familiar. Foi quando passamos a dialogar mais para entender suas necessidades”, relatou o agrônomo.

Com a aproximação, a realidade vivenciada pelo agricultor se modificava à medida que o acompanhamento técnico evoluía, semanalmente, dando espaço à diversificação da produção com o plantio de tomate, inhame, milho, batata doce, melancia e macaxeira, além de melhorar as lavouras de abacaxi já existentes.

A estratégia da diversificação, potencial da agricultura familiar, torna-se uma ferramenta útil para a geração de renda durante todo o ano, evitando que o pequeno produtor precise esperar pela época de colheita de uma só cultura, além de ampliar as possibilidades de comercialização.

“Fico muito feliz com os avanços que eu e minha família conquistamos aqui. Estou muito satisfeito e agradeço ao Mário, que virou um grande parceiro da gente, e que sempre está nos acompanhando, ensinando como melhorar, dando conselhos e mostrando técnicas para gente produzir mais e melhor”, contou Sebastião Santos durante o dia de campo realizado em sua propriedade.

O agricultor destacou, ainda, que o incremento na renda familiar permite que sejam realizados novos investimentos em recursos e tecnologias para a sua propriedade, como foi o caso da implantação de três poços para abastecer a lavoura.

Associativismo

O agrônomo Mário Nunes explica que a reunião inicial que mobilizou seu Sebastião e outros pequenos produtores do Povoado Poço Comprido também foi o ponto de partida para articulação e sensibilização da comunidade em busca da criação de uma associação rural, iniciativa que facilita o acesso a políticas públicas e o escoamento das produções, gera mais renda para as famílias e amplia oportunidades de capacitação e obtenção de equipamentos de fomento às atividades que não poderiam ser adquiridos de forma individual.

Ascom – 09/08/2017