Assédio: Deputado quer entrar com representação contra Wladimir Costa

O deputado Júlio Delgado (PSB-MG) afirmou que irá entrar com uma representação contra Wladimir Costa (SD-PA), acusado de assédio sexual e moral contra a jornalista Basília Rodrigues, da CBN. Delgado disse estar estudando a forma mais rápida de dar andamento ao processo para que o colega sofra as devidas sanções.

— Estou conversando com o partido para ver se ele entra com a representação (para que o pedido vá direto para o Conselho de Ética da Câmara) ou se eu entrarei (para que o pedido passe pela Procuradoria Parlamentar da Casa). Isso deve ser definido entre hoje e amanhã, mas de uma forma ou de outra, o pedido será feito.

Júlio criticou o comportamento de Wladimir não apenas na ocasião, mas disse que o colega é violento e se dirige de forma agressiva a várias pessoas, incluindo a deputados. Ele também defendeu que os jornalistas e demais profissionais sejam tratados com respeito no exercício de suas profissões, revela O Globo.

— Essa não é uma postura adequada para um deputado. A forma como ele trabalha é equivocada e tem grande rejeição da população. A conduta dele fere a ética e o decoro parlamentar quando agride a sociedade. Ele precisa ser advertido, não pode tratar assim pessoas que estão fazendo o trabalho delas.

O parlamentar ainda comentou que não acha que seja o caso de cassar o mandato de Wladimir mas, no mínimo, ele deve ser advertido e sofrer sanções previstas no Código de Ética da Câmara.

O assédio do qual Wladimir é acusado ocorreu na noite da última terça-feira, véspera da votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, durante o jantar que reuniu Temer e diversos deputados na casa do vice-presidente da Câmara, Fábio Ramalho (PMDB-MG). Wladimir Costa é o deputado que ganhou destaque na última semana por ter tatuado o nome do presidente no ombro.

Na terça-feira, surgiram dúvidas sobre se a tatuagem era apenas temporária, o que o deputado sempre negou. Durante o jantar, na presença de outros jornalistas e parlamentares, Basília questionou Wladimir Costa sobre o caso e perguntou se ele poderia mostrar a tatuagem, a fim de comprovar sua versão de que se tratava de um desenho definitivo. O deputado então respondeu: “Para você só (mostro) se for o corpo inteiro”.

Procurado, o deputado Wladimir Costa afirmou, por meio de sua assessoria, estar “muito tranquilo e pronto para responder, porque a consciência está tranquila em relação a esta acusação, uma vez que em nenhum momento agiu com uma conduta inapropriada com a jornalista”, disse.

08/08/2017